sexta-feira, 29 de janeiro de 2010



Foi na sexta-feira passada, mas não consegui escrever antes, o que é uma pena. Pois foi um grande show. Uma amiga que já tinha visto outros afirmou ter sido este o melhor. No meu caso, foi paixão a primeira vista. "Vista" literalmente, afinal, já ouvia Móveis Coloniais de Acaju há algum tempo e adorava sua mistura criativa de Los Hermanos, SKA e marchinhas de carnaval. E as letras divertidas. E as verdades disfarçadas de piada. Só faltava o show, e o show tem mais. Tem simpatia de sobra, improvisos, encenações e muita, mais MUITA animação.

O Auditório do Ibirapuera estava lotado, todos sentados comportadamente em seus lugares. Isso até as luzes se apagarem. Dois minutos depois, éramos um mar de alegria, uma multidão que pulava (e suava) ao pé do palco, bexigas coloridas que voavam e um coro bem treinado que acentuava os refrões.



O resultado foi divertidíssimo, claro, até quem não conhecia se empolgou e caiu na dança. Palmas para todos os nove músicos e equipe. Que banda grande, que grande banda! Criatividade, esforço físico. Fiquei impressionado.

A plateia também colaborou bastante, foi lindo, todos estavam ali com intenção de curtir o momento, sem confusão, atropelos ou falta de educação. Tinha gente de gravata, jovens com mochila... Só que o estresse da semana ficou de fora e sobrou o clima perfeito para acompanhar a banda. O som estava baixinho, é verdade, mas a gente cantou junto e resolveu o problema.

Resumindo, Móveis Coloniais de Acaju faz jus ao sucesso crescente: oferece ótimos discos para ouvir e apresentações maravilhosamente empolgantes para assistir. Adorei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!