sábado, 10 de abril de 2010

SOBRA INOCÊNCIA NO JARDIM DAS DELÍCIAS



É muito gostoso reviver a juventude e perceber que ela não deixou de existir simplesmente porque a gente cresceu. Quem me diz isso é Tiê, com sua voz doce e sonhadora, ao som de um violão dedilhado com carinho.

Há muita ingenuidade em seu jardim, daquela ingenuidade gostosa de quem descobre o mundo com brilho no olhar. Há doçura, daquela que transforma a vida numa acolhedora delícia. Há intimidade sincera, como se abríssemos seu diário e lêssemos ali: "Amor, por que eu te chamo assim?, se com certeza você nem lembra de mim."

É por isso que tudo soa como um devaneio, e é também por isso que continuamos a entender as canções mesmo quando elas vagueiam entre o português, o francês e o inglês. Afinal, nem tudo são palavras. A maior parte é puro sentimento.

Ouço ali a minha própria infância. Coisas banais, como o circo de "Chá verde", as fantasias de "A bailarina e o astronauta", a escola de "Se enamora" e a mamãe de "Passarinho", que viu a filha bater asas e voar, cantando alegremente, para nossa felicidade.

Sweet Jardim é lindo, são sonhos bons cultivados com amor. Se pudesse, me mudaria definitivamente para lá, e viveria feliz para sempre, experimentando todos os dias a inocência e o sabor da infância. Que saudade!


Site oficial: sweetjardim.wordpress.com




Sweet jardim
(música e letra tiê, voz tiê, viola caipira, cajon e banjo: plinio profeta. participação especial: toquinho – violões)

Plantei no jardim um sonho bom. Mostrei meus espinhos pra você. Faz que desamarra o peso das botas e fica feliz. Abre o guardachuva que hoje o sol desistiu de sair. Esse perfume de alecrim trouxe de volta um sonho bom. Posso até olhar pela janela e recitar une petit chanson. Cantei pra você meus velhos tons. Perdi seu ouvido pro jornal. Eu trago a dança que me inspirou o café sem açucar e tal. Analise o fundo da xícara, a esperança é igual. E eu confesso, só me resta a vida interia. Só me resta a vida em mi maior e lá.


Dois
(música tiê, letra tiê e thiago pethit, violão de aço, rhodes e voz: tiê, violão, guitarra e rhodes: plinio profeta)



Como dois estranhos, cada um na sua estrada, nos deparamos, numa esquina, num lugar comum. E aí? Quais são seus planos? Eu até que tenho vários. Se me acompanhar, no caminho eu possso te contar. E mesmo assim, eu queria te perguntar, se você tem ai contigo alguma coisa pra me dar, se tem espaço de sobra no seu coração. Quer levar minha bagagem ou não?

E pelo visto, vou te inserir na minha paisagem e você vai me ensinar as suas verdades e se pensar, a gente já queria tudo isso desde o inicio. De dia, vou me mostrar de longe. De noite, você verá de perto. O certo e o incerto, a gente vai saber. E mesmo assim, queria te contar, que eu tenho aqui comigo alguma coisa pra te dar. Tem espaço de sobra no meu coração. Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!