quinta-feira, 27 de maio de 2010

Fui buscar mais uma foto da Cordilheira dos Andes para ilustrar o trecho abaixo, pois bastou eu ler para reviver toda aquela experiência maravilhosa da viagem.

Não é incrível o poder que as palavras têm de invocar imagens e sentimentos?



"Eu viajava. A paisagem na qual eu me encontrava era de uma grandeza e uma nobreza irresistíveis. Algo delas decerto passou naquele momento para minha alma. Meus pensamentos esvoaçavam com uma leveza igual à da atmosfera; as paixões vulgares, como o ódio e o amor profano, me pareciam agora tão distantes como as névoas que resvalavam no fundo do abismo aos meus pés; minha alma me parecia tão vasta e tão pura como a cúpula do céu que me envolvia; e a lembrança das coisas terrestres só me chegava ao coração enfraquecida e diminuída, como o som da sineta dos gados imperceptíveis que passavam longe, bem longe, na vertente de outra montanha."

Charles Baudelaire, em Pequenos Poema em Prosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!