quinta-feira, 30 de setembro de 2010

SE MAOMÉ NÃO VAI À MONTANHA

Com objetivo de atrair visitantes, o MASP colocou uma série de reproduções de suas obras-primas nas imediações. Trata-se de uma publicidade de guerrilha que chama atenção pela irreverência. Duvido que o número de visitas aumente só porque as pinturas foram às ruas, mas, de qualquer maneira, um ponto importante foi marcado: a mídia está falando bastante.

A proposta tem ainda outro objetivo: o fotógrafo Ary Diesendruck vai registrar a reação do público e reunir as imagens num catálogo, que trará ainda textos do curador Teixeira Coelho e declarações dos proprietários dos imóveis em que as reproduções foram colocadas.

Acredito que a iniciativa merece elogios por mais uma razão: ela prova que a publicidade dos museus brasileiros pode ser mais criativa e, dessa maneira, instigar quem jamais pensaria em incluir um programa cultural como esse no fim de semana. Em outras palavras, é sempre bom ouvir as pessoas falando de nossos museus. Melhor ainda quando falam bem.

Mais informações: Estadão

Visite também o site do museu: MASP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!