segunda-feira, 5 de julho de 2010

PORTO SEGURO



Polinésia, o céu (1946) e Polinésia, o mar (1946), de Henri Matisse

"A aplitude do céu, a arquitetura móvel das nuvens, as colorações mutantes do mar, o cintilar dos faróis, são um prisma maravilhosamente próprio para divertir os olhos sem jamais enfastiá-los."

Charles Baudelaire, em Pequenos poemas em prosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!